Porta-voz dos Bombeiros mostra como é feito trabalho de resgate em Brumadinho

Aos 26 anos, tenente Pedro Aihara é uma das autoridades à frente das informações da tragédia. ´Essa profissão de poder salvar alguém é uma coisa que tem um quê de divino

Lido 37538 vezes

Desde que a barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, da Vale, se rompeu em Brumadinho, na sexta-feira (25), o jovem tenente Pedro Aihara, de 26 anos, é uma das autoridades mais presentes à frente das atualizações das informações.

No MG1 desta segunda (28), o militar mostrou à repórter Tábata Poline os bastidores do trabalho dos 230 bombeiros de Minas Gerais para localizar e resgatar as vítimas do desastre. São homens e mulheres que não medem esforços, por terra ou pelo ar, e levam a sério o lema da corporação: "O amigo certo, nas horas incertas".

A bordo de um dos helicópteros dos Bombeiros, a equipe de reportagem e Aihara sobrevoaram as áreas mais devastadas pelo lama para mostrar como é a operação. Durante o voo, um dos bombeiros fica preso à aeronave, pendurado com o corpo para fora, para aumentar a visibilidade do solo e tentar achar indícios de sobreviventes.

"O tripulante operacional, ele tem um curso específico, então ao menor indício ele já consegue identificar quando a gente tem uma alteração, por isso que ele fica lançado para fora, porque aí qualquer coisa que ele detecte, ele informa para o comandante da aeronave. O comandante aproxima e aí faz a confirmação. Se ele tem alguma dúvida em algum ponto que ele não consegue pousar, ele bota a coordenada no GPS, e passa para a equipe de terra para a equipe de terra conseguir fazer o acesso via terrestre", explica Aihara.


Paixão pela profissão

O tenente conta que entrou para Corpo de Bombeiros quando eu tinha 18 anos e escolheu a profissão porque é apaixonado pelo que faz.


Essa profissão de poder salvar alguém é uma coisa que realmente, tem um quê divino (...) A gente tem oportunidade de ser uma das pessoas mais importantes, senão a pessoa mais importante, no dia mais dificil na vida de alguém. É o dia que uma pessoa vai perder um parente, é o dia que a pessoa ela vai se envolver em um acidente muito sério.

Compartilhe
- Parceiros/Conveniados -


Comente