ENTREVISTA: Marco Aurélio Alves Pinto

Comandante dos Bombeiros em São Paulo investe em mudança de cultura com novo foco para a instituição

Lido 1124 vezes

Comandante dos Bombeiros em São Paulo Marco Aurélio Alves Pinto
Desde maio de 2014, o Coronel Marco Aurélio Alves Pinto vem empregando sua experiência na gestão de órgãos como Defesa Civil, a fim de trazer renovação aos bombeiros paulistas. Para tanto, ele cita três eixos principais: foco na prevenção, redução na máquina administrativa e gestão operacional de uma forma diferenciada. “A visão do futuro é sermos bombeiros preventivos, atuar na gestão dos riscos. Teremos uma posição geográfica diferenciada para nossos quartéis; em vez da atual distribuição aleatória e política, com poucos critérios técnicos, teremos maior flexibilidade na distribuição, culminando na diminuição do tempo-resposta a ocorrências”, afirma Marco Aurélio.

Nesta entrevista concedida à Emergência, ele detalha suas metas no comando, principais ocorrências e o preparo para reduzí-las, especialmente diante de barreiras como o trânsito caótico da capital paulista. Avalia a estrutura e atuação da corporação durante a Copa do Mundo e a importância da integração entre órgãos de emergência, além de comentar os impactos gerados pelo incêndio na boate Kiss, em 2013, e pelo novo Código Estadual de Proteção Contra Incêndios e Emergências do Estado, que deverá ser votado em breve.

PERFIL
MARCO AURÉLIO ALVES PINTO


Com longa carreira dedicada a órgãos de emergência, o coronel Marco Aurélio é formado em Direito pela Universidade São Francisco e instrutor de Educação Física pela Escola de Educação Física da PM. Iniciou sua carreira na Polícia Militar do Estado de São Paulo em fevereiro de 1982, como aluno-oficial da APMBB (Academia de Polícia Militar do Barro Branco). Realizou diversos cursos de especialização, como Capacitação de Instrutores e Atendimento Pré-Hospitalar Avançado, além de ser instrutor. Atuou em diversas áreas, tais como 1º Grupamento de Busca e Salvamento, atual 1º GB Capital, 7º Grupamento de Incêndio, na cidade de Campinas, Escola Superior de Bombeiros e Defesa Civil do Estado. Em 2010, assumiu o Comando do Corpo de Bombeiros do Interior, responsável por 606 cidades, com metade da população paulista. Tornou-se Secretário-Chefe da Casa Militar e Coordenador Estadual da Defesa Civil paulista em fevereiro de 2013. Marco Aurélio é comandante do CBPMESP (Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de SP) desde 10 de maio de 2014.

QUAL O SIGNIFICADO DE ASSUMIR O COMANDO DO CBPMESP DIANTE DO CENÁRIO ATUAL?
Pessoalmente, é uma realização para todo oficial da corporação chegar ao topo da carreira e ser o comandante do CBPMESP, pela referência que ele é. Tive a oportunidade de ser Secretário-Chefe da Casa Militar e Coordenador Estadual da Defesa Civil, o que me levou a enxergar o Estado de outro ângulo, dentro do contexto de emergência. Isto me trouxe mais segurança e tranquilidade para assumir o comando do CB. Não que seja fácil. O CB, dentro do sistema de Defesa Civil, possui como atribuição a resposta às ocorrências.

Existe a preparação, prevenção, mitigação de risco e a resposta, seguida pela assistência e recuperação. Dentro deste contexto, por ter uma visão mais ampla sobre a Defesa Civil e emergência, acredito que o CB tem que focar na resposta, sim. Mas também temos um viés de prevenção e preparação. Ou seja, ajudamos a evitar as ocorrências. O CBPMESP está em um nível muito bom, mas queremos que melhore. Todos os comandantes vêm somando e eu também vim para somar, com uma nova visão de gestão, de enxugamento, de focar em atividades de bombeiros, priorizar o serviço operacional e tornar o CB um órgão mais proativo.

QUAIS AS PRINCIPAIS METAS DA SUA GESTÃO?
Foco na prevenção, redução na máquina administrativa e gestão operacional de uma forma diferenciada. Em conversa com o governador de SP, Geraldo Alckmin, ficou acertado o aumento do efetivo, porém apenas para expansão do serviço do CB. Ou seja, temos que fazer uma gestão diferenciada para melhorar o trabalho que já executamos. Se mudarmos os processos, informatizarmos nossas ações administrativas, tornando-as mais transparentes e ágeis, reduziremos o gasto público e, com a sobra de recursos, vamos proporcionar a expansão do serviço.

Dentro desta linha, criamos os eixos estratégicos de comando. O primeiro é o foco na prevenção. Vamos tornar o CB muito mais proativo, ao invés de reativo, como é hoje. Pretendo valorizar o sistema de atividades técnicas, ou seja, o setor que cuida da análise e vistorias dos projetos de locais e áreas de risco. Trabalhando na prevenção, em especial no item incêndio, pretendemos reduzir ainda mais as ocorrências de incêndios e consequentemente as mortes. Fora isto, a ideia é dar uma transparência maior e democratizar as ações de prevenção em atividades técnicas. Para tanto, vamos nos aproximar ainda mais de órgãos como o Crea, Instituto de Engenharia, para que haja uma linguagem única, e as ações sejam desburocratizadas, melhorando o serviço para o cidadão.

O Via Fácil Bombeiro, sistema digital que automatizou o setor de análise e vistorias dos projetos de locais e áreas de risco, implantado em março de 2013, foi um grande passo nas melhorias dos serviços e na desburocratização. Mas não basta, queremos mais, e até o fim de 2014 o cidadão poderá regularizar seu imóvel totalmente via internet, sem ter de comparecer a um Quartel de Bombeiros. Este sistema propiciará que as plantas apresentadas pelos interessados sejam eletrônicas, possibilitando aos bombeiros fazer vistorias em tablets, e ainda permitindo a utilização destes arquivos eletrônicos quando da ocorrência de emergências, utilizando o tablet da viatura. Dentro do conceito de proatividade, fizemos uma parceria com o Detran, criando um sistema chamado Gestão Operacional para Redução de Acidentes - RAC. Por meio dele, o CB consegue identificar os principais locais onde há maior incidência de ocorrências e, assim, traçar uma estratégia proativa para evitá-las, economizando recursos públicos e salvando mais vidas.

São Paulo
Cel PM Marco Aurélio Alves Pinto
Comandante Geral do Corpo de Bombeiros de São Paulo

Fonte: R. Emergência
ENTREVISTA À JORNALISTA
Priscilla Nery
FOTO
Valdir Lopes
Compartilhe
- Parceiros/Conveniados -


Comente