Dicas de segurança dos Bombeiros com crianças durante as férias escolares

Bombeiros reforça dicas de segurança com as crianças durante as férias escolares

Lido 2031 vezes

Muitas crianças utilizam o tempo livre para soltar pipa, mas de maneira arriscada, com o uso do cerol, mistura cortante de cola com cacos de vidro moídos que, aplicada às linhas das pipas e papagaios, tem a finalidade de cortar a linha dos brinquedos de outras crianças.

O uso ou venda de cerol é proibido no Município de Sumaré desde 1998, mas há quem insista em utilizar o produto. O Corpo de Bombeiros ressalta o perigo em utilizá-lo, pois além do risco de ferir o próprio corpo há ameaças de machucar os indivíduos que estão ao redor. Os maiores riscos são os cortes causados pelas linhas.

Os motociclistas e ciclistas são as principais vítimas, e o pescoço é a parte mais atingida, principalmente devido a falta de proteção. Há dezenas de casos documentados de mortes causadas pelas linhas com cerol, basta uma rápida procura na internet ou no site http://www.cerol.com.br (que traz imagens fortíssimas de vítimas desta prática).

Além dos ricos com cerol, há também o risco às redes de distribuição de energia elétrica.

É importante que a criança não solte pipas em dias de chuva, principalmente se houver relâmpagos, que evite brincar perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos e procure locais abertos como praças e parques.

DENTRO DE CASA

Dentro de casa, os pequenos não devem ter acesso a eletrodomésticos, fósforos e isqueiros, Inflamáveis, remédios, ferramentas, fogos de artificio e uso indevido de álcool.

Sempre certificar-se se a chama do fogão está apagada. Muitas pessoas estão com as panelas no fogão e quando vão fazer outra tarefa doméstica, acabam esquecendo a chama acesa o que pode provocar um incêndio ou queimaduras nos pequenos. Uma ocorrência comum é o uso indevido da panela de pressão, com a utilização de um tipo de cola especial para vedar a válvula de escape. O método pode virar uma bomba porque a pressão não tem por onde sair e a panela explode.

Outra orientação é para nunca deixar crianças pequenas, sem vigilância, próximas à pias, banheiras, piscinas e recipientes com água. É melhor guardar baldes e recipientes virados para baixo. Além disso, elas devem ficar longe de caixas de remédios ou brincar com objetos pequenos que podem ser ingeridos, causando asfixia ou risco de intoxicação. Mantenha os produtos em suas embalagens originais. Nunca coloque um produto tóxico em outra embalagem que não a sua, pois poderá ser confundido com algo sem perigo.

Facas, garfos, tesouras e outros objetos cortantes também não devem estar ao alcance das crianças. Para prevenir acidentes, as crianças não devem andar pela casa levando nas mãos copo, garrafa ou outro objeto de vidro.

Para garantir a segurança na piscina de casa, o cuidado deve ser com as grades e portão com cadeado, somente uma cerca viva em volta do local não é suficiente.

Outro acidente comum são as quedas de nível ou de mesmo nível (queda da própria altura). Para evitar essa incidência é recomendado que o responsáel recolha brinquedos e outros objetos do piso. Os tapetes devem ser fixados com fita adesiva dupla-face ou forro de borracha antiderrapante. Se líquidos for derramado ao chão, deve-se secá-la imediatamente. Segundo o comandante, são pequenos detalhes que evitam a queda. “Não deixar objetos na escada, colocar portão de segurança no topo e em baixo da escada se houver criança aprendendo a caminhar”.

Verifique sempre o estado das instalações elétricas, fios desencapados podem ser muito perigosos. As tomadas devem estar protegidas por tampas apropriadas, esparadrapo, fita isolante ou mesmo cobertas por móveis. Evite usar benjamins ou extensões, muitos aparelhos ligados na mesma tomada podem causar sobrecarga e curto-circuito na fiação.

FORA DE CASA

Fora de casa é preciso adotar medidas para evitar os riscos de acidentes durante as brincadeiras. Recomenda-se que o deslocamento até praças, parques e jardins seja supervisionado por um adulto, evitando possíveis atropelamentos. Nos parques, a classificação etária dos brinquedos também deve ser respeitada para que crianças muito novas não utilizem brinquedos que ofereçam um risco maior.

Ganhar a primeira bicicleta, tirar as rodinhas e pedalar por conta própria são momentos inesquecíveis para a criança. Além de serem brinquedos, a bicicleta, o patins, o patinete e o skate, representam liberdade e independência. Ao andar com esses brinquedos o maior perigo é lesão na cabeça, que pode levar à morte ou deixar sequelas permanentes. A forma de proteção craniana mais efetiva é o uso de capacete de qualidade. As crianças devem brincar em locais seguros, fora do fluxo de carros e longe de piscinas e sacadas.

Também há a opção de procurar rios e lagos, mas com o acompanhamento de um adulto e a proteção de uma boia, além da recomendação de não avançar em locais profundos. O bronzeador nunca deve ser usado, mas apenas os protetores e bloqueadores solares. Mesmo adotando o protetor, é preciso observar o período de exposição ao sol, preferindo os horários com raios mais amenos, registrados antes das 10 e após às 16 horas.

São dicas simples, mas que podem evitar acidentes e adiantar o final das férias, período tão aguardado pelas crianças.

Em caso de emergências ligue 193
Compartilhe
- Parceiros/Conveniados -


Comente