Converse com o pediatra do seu bebê e exija teste do olhinho!

O teste do olhinho é fundamental para um diagnóstico e tratamento precoce de doenças relacionadas à visão.

Lido 4177 vezes

Toda mãe sabe que o teste do pezinho é um exame obrigatório e de fundamental importância no diagnóstico de doenças importantes, como anemia falciforme, hipotireoidismo congênito, fibrose cística e fenilcetonúria. Mas o que muitas mães não sabem é que outros exames também devem ser realizados no primeiro mês de vida do bebê. Esse é o caso do teste da orelhinha e do teste do olhinho.
O teste do olhinho, assim como o teste da orelhinha e do pezinho, é um teste simples e rápido.
O teste, também chamado de teste do reflexo vermelho, é essencial para a avaliação da visão do bebê. Esse exame deve ser feito até os 30 dias de nascimento, entretanto é preferível que seja realizado antes da alta médica da criança.
O exame, que dura em média três minutos, consiste em colocar um feixe de luz em direção ao olho do bebê, em uma distância superior a 30 cm. O médico então irá observar o reflexo das pupilas. O reflexo em uma criança com visão normal tem coloração avermelhada, é homogêneo e simétrico. Essa coloração avermelhada significa que o eixo óptico está livre, permitindo a entrada e saída de luz através da pupila. Caso o reflexo não seja vermelho ou o responsável pelo exame esteja em dúvidas sobre o diagnóstico, é importante que um oftalmologista seja consultado. O equipamento utilizado nesse exame recebe o nome de oftalmoscópio.
Para bebês prematuros com peso inferior a 1,5 kg e/ou que nasceram até 32 semanas, existe uma recomendação especial. O primeiro teste do olhinho deve ser realizado entre a 4º e a 6º semana de vida do bebê. O objetivo principal do exame é detectar a retinopatia da prematuridade. O exame deverá ser repetido até que toda a retina esteja vascularizada.
O teste do olhinho diagnostica doenças como catarata congênita, glaucoma congênito, retinoblastoma, retinopatia na prematuridade, infecções, traumas de parto, tumores e cegueira.
Nesse exame também é observado o estrabismo. O teste é importante, pois o tratamento precoce de algumas dessas doenças pode permitir o desenvolvimento normal da visão do bebê.
Diferentemente do teste do pezinho, esse teste não é garantido por lei em todos os estados brasileiros. Entretanto, é obrigatório o pagamento do teste por planos de saúde desde 2010.

Conheça um pouco mais sobre as principais doenças detectadas no teste do olhinho:
- Catarata Congênita: O cristalino torna-se opaco, dificultando assim a visão. É a principal causa de cegueira na infância. A catarata congênita está frequentemente associada a algumas doenças genéticas, tais como galactosemia e síndrome de Down.
- Glaucoma Congênito: é uma doença caracterizada pelo aumento da pressão intraocular.
Normalmente, a criança com glaucoma congênito perde o brilho da região da íris e desenvolve um aumento do volume do globo ocular.
- Retinopatia da Prematuridade: Nessa doença ocorre uma proliferação anormal de vasos sanguíneos da retina, atingindo principalmente bebês prematuros. Juntamente ao glaucoma congênito, é uma das maiores responsáveis pela cegueira infantil.
- Retinoblastoma: É um tumor maligno comum na infância, causado por uma mutação. É importante o acompanhamento, pois esse tumor pode não ficar restrito ao olho.
Converse com o pediatra do seu bebê e exija esse exame!
Compartilhe
- Parceiros/Conveniados -


Comente