"Corpo de Bombeiros da PMESP Comemora 138 Anos"

"10 de Março de 1880" Data oficial de organização do Corpo de Bombeiros da PMESP

Lido 61847 vezes

Foto Arquivo: Cássio Messias
A lei foi votada e aprovada. tendo sido publicada em 10 de março de 1880, data que determina a criação Oficial do Corpo de Bombeiros de São Paulo.

Eis a íntegra da lei:

Artigo 1º – Fica o governo da província autorizado a organizar desde já uma Secção de Bombeiros, anexa à Cia de Urbanos da capital e a fazer aquisição de maquinismo próprio para a extinção de incêndios.

Artigo 2º – Para essa despesa, é o governo autorizado a abrir um crédito de 20:000$00, revogadas as disposições em contrário."
A Seção criada ocupou uma parte do prédio onde funcionava a estação central da Companhia de Urbanos, na Rua do Quartel (hoje Rua 11 de Agosto), sendo requisitado o material necessário para sua formação. O Tenente José Severino Dias, oriundo do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, onde tinha o posto de alferes, assumiu o comando em julho de 1880, iniciando de imediato os trabalhos de organização dos serviços de combate a incêndios, de instrução e da instalação da Seção.

Mesmo considerando a riqueza do idioma, a cada ano os qualificativos usados para enaltecer por méritos o Corpo de Bombeiros do nosso Estado de São Paulo se tornam mais repetitivos, porém cheios de novidades! Não podemos asseverar limitações ao idioma, mesmo porque iniciamos este texto enfatizando a riqueza que de fato o mesmo tem.

Tão pouco podemos atribuir aos palestrantes, oradores etc., falta de conhecimento ou pobreza de recursos gramaticais. É certo, muito certo que a nobreza do espírito supera em muito recursos da língua.

Não é raro ouvir por ai pessoas dizendo que não tem palavras para expressar a gratidão que sentem. Quero dizer que há sim verdade nesta frase, pois o espírito humano, apesar dos pesares é nobre e vai muito além dos recursos da vernácula.

É desta grandeza de espírito que todos somos tomados quando subimos na tribuna para falar desta gloriosa corporação. Naqueles momentos não deixamos levar pelo brilho da erudição, nem pela imagem pessoal, tão pouco pelo elevado cargo que ocupamos ou até mesmo pelo profissional que somos.

A grandeza de espírito nos torna todos iguais e autênticos, é  por isso que simplesmente tomamos do acervo gramatical os elementos mais populares, simples e interativos, mesmo porque eles se coadunam com a plateia tão heterogênica que todos os anos prestigiam o evento que tem por objetivo maior sempre que possível comemorar o aniversário junto com o povo.

Assim, os verbos: dar, doar, amar, viver e morrer, tais como os adjetivos: bom forte, exemplar, herói, incansável e outros tantos elementos, os mais comumente usados no dia a dia, nos vem a lembrança e os pronunciamos repetidas vezes para expressar de fato a imagem que a corporação repercute em cada um de seus membros, bem como a imagem que cada um expressa aos cidadãos.

O Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo é uma instituição, cuja missão é "Atuar como Coordenador do Sistema Estadual de Emergências do Estado de São Paulo, Provendo Proteção e Resposta Imediata a Emergência de Incêndio, Salvamento e Resgate." 

O grande valor do CBPMESP ao longo desses 138 anos, apesar de contar com toda a tecnologia disponível, são os Homens e Mulheres que não medem esforços para salvar vidas. São eles que dotados de excelente conhecimento profissional, fazem a diferença e colocam a Instituição no mais alto patamar de todas as pesquisas. Em 2017 pelo 16º ano consecutivo os Bombeiros foram considerados com 96%  a Profissão que o brasileiro mais confia, segundo a pesquisa Marcas de Confiança que foi realizada pelo Datafolha entre maio e junho. 

Histórico

Desde 1851 existiram iniciativas no sentido de constituir um serviço de combate à incêndios na cidade de São Paulo. Porém, oficialmente isso somente se concretizou em 10 de março de 1880, com a promulgação de uma lei da Província de São Paulo que instituiu um Corpo de Bombeiros com vinte integrantes, anexo à Companhia de Urbanos que era a Corporação Policial da época. Sendo assim, ao contrário dos bombeiros fluminenses, o de São Paulo tem origem dentro da Corporação Policial.
Em 1887 essa Seção foi transferida para o prédio da Rua do Trem (atual Rua Anita Garibaldi); endereço que permanece até os dias de hoje, como uma das sedes do Corpo de Bombeiros de São Paulo.
Em 1890 o efetivo foi ampliado para uma Companhia. Em 1900 as diversas Instituições de Segurança foram reunidas numa só, denominada Força Pública de São Paulo. Desde então o Corpo de Bombeiros teve sua história ligada a essa Corporação a qual, posteriormente, viria a se tornar na Polícia Militar de São Paulo.

Cronologia do Corpo de Bombeiros no século XIX

1850 - Ocorre um incêndio na Rua do Rosário (atual Rua XV de Novembro), o incêndio é extinto por uma bomba manual emprestada por um francês chamado Marcelino Gerard.
1852 - Em decorrência de tal incêndio é apresentado na Assembleia Provincial, pelo então Brigadeiro Machado de Oliveira um Projeto de Lei de um Código sobre Prevenção de Incêndios. Nesse Código estavam regulamentados os serviços de prevenção e extinção de incêndios, ficando o povo, por lei, obrigado a cooperar com a polícia nos dias de incêndio.
1856 - Surge o Corpo de Bombeiros da Corte (atual Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro).
1861 - Ocorre um incêndio em uma livraria na Rua do Carmo.
1863 - Novo incêndio, desta vez na Rua do Comércio em uma loja de ferragens.
1870 - Um barril de pólvora explode no centro da cidade de São Paulo.
1875 - É criada uma "Turma de Bombeiros" com dez homens egressos do Corpo de Bombeiros da Corte e que ficaram adidos à Companhia de Guarda de Urbanos.
1880 - Um incêndio na Faculdade de Direito, determina a criação oficial do Corpo de Bombeiros (10 de março de 1880). O então Alferes José Severino Dias é designado em 24 de julho Comandante da Seção de Bombeiros com vinte homens (praças) oriundos da Cia de Urbanos.
1883 - Ocorre a primeira troca de comando.
1888 - O efetivo da Seção de Bombeiros aumenta para trinta praças.
1890 - Elevação a categoria de "Companhia de Bombeiros". O efetivo aumenta para sessenta homens. O Comandante passa a ser um capitão. É criada a 6ª Zona de Bombeiros no município de Santos (atual 6º Grupamento de Incêndio).
1891 - O’Connel Jersey assume o comando. É criado a Estação Oeste de Bombeiros (2ª Zona) - atual 2º Grupamento de Incêndio responsável pelo atendimento dos bairros da Barra Funda, Campos Elíseos e Lapa e a Estação Norte de Bombeiros (3ª Zona).
1893 - Os movimentos de tropas federalistas no sul do país e a situação agitada do povo diante dos acontecimentos subversivos (Revolta da Armada), faziam com que os brasileiros temessem uma guerra civil. Um contingente do Corpo de Bombeiros segue para Santos integrando à Força Policial, juntando-se às tropas em defesa da causa republicana.
1895 - É inaugurada a 3ª Zona de Bombeiros, responsável pelo atendimento dos bairros da Moóca, Brás, Belém, Penha e Vila Prudente (atual 3º Grupamento de Incêndio).
1896 - São inauguradas as estações do Norte e Oeste, inicia-se o funcionamento do 1º Sistema de Alarmes, o "Generst".
1900 - Unem-se todas as forças de segurança em uma só "Força Pública". É criado o Corpo Municipal de Bombeiros de Campinas, seu efetivo inicial era de oito homens.

Organograma do Corpo de Bombeiros da PMESP

CCB – Comando do Corpo de Bombeiros
Gab Cmt CB – Gabinete do Comandante do Corpo de Bombeiros
Subcmt CB – Subcomandante do Corpo de Bombeiros
Dep Oper – Departamento Operacional
Coord Op CB – Coordenadoria Operacional do Corpo de Bombeiros
Dep Prev – Departamento de Prevenção
DP – Departamento de Pessoal
DFP – Departamento de Finanças e Patrimônio
Div Tel – Divisão de Telemática
Div OM – Divisão de Organização e Métodos
GBMar – Grupamento de Bombeiros Marítimo
CSM/MOpB – Centro de Suprimento e Manutenção do Material Operacional de Bombeiros
ESB – Escola Superior de Bombeiros

CBM – Comando de Bombeiros Metropolitano
1º GB – Primeiro Grupamento de Bombeiros
2º GB – Segundo Grupamento de Bombeiros
3º GB – Terceiro Grupamento de Bombeiros
4º GB – Quarto Grupamento de Bombeiros
5º GB – Quinto Grupamento de Bombeiros
8º GB – Oitavo Grupamento de Bombeiros
17º GB – Décimo Sétimo Grupamento de Bombeiros
18º GB – Décimo Oitavo Grupamento de Bombeiros

CBI – Comando de Bombeiros do Interior
6º GB – Sexto Grupamento de Bombeiros
7º GB – Sétimo Grupamento de Bombeiros
9º GB – Nono Grupamento de Bombeiros
10º GB – Décimo Grupamento de Bombeiros
11º GB – Décimo Primeiro Grupamento de Bombeiros
12º GB – Décimo Segundo Grupamento de Bombeiros
13º GB – Décimo Terceiro Grupamento de Bombeiros
14º GB – Décimo Quarto Grupamento de Bombeiros
15º GB – Décimo Quinto Grupamento de Bombeiros
16º GB – Décimo Sexto Grupamento de Bombeiros
19º GB – Décimo Nono Grupamento de Bombeiros
20º GB – Vigésimo Grupamento de Bombeiros
Compartilhe

Comente